segunda-feira, 2 de novembro de 2015

DIÁRIOS DE ÓCULOS - PORQUE ESCREVO #02

Escrevo porque gosto de palavras. Tudo o que representam, o poder que podem expressar, as emoções que podem retirar de nós... Gosto delas e escrever me faz exercer esse processo. É um certo jogo com o leitor, você busca o arranjo certo de palavras, tentando convencê-lo de que sua história tem sua própria verdade, de que ela é autêntica dentro de si.

Eu teria um grande prazer se conseguisse ser remunerado por isso.

>>>

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

CURSANDO "ESCREVA SUA HISTÓRIA": ATIVIDADE #07 - MINICONTO

Hail!

Seguindo o mini-curso "Escreva Sua História", realizado pelo roteirista Fábio M. Barreto, vou compartilhar o resultado do último exercício que fiz, que traz a seguinte proposta:

"Escreva um miniconto, no gênero da FANTASIA, com apenas um parágrafo, com, no máximo, 10 linhas (de acordo com o espaço dessa postagem). É preciso demonstrar um arco dramático, ou seja, de algum modo, ter começo, meio e fim".

Fiquei um pouco na dúvida sobre a quantidade de texto a apresentar, uma vez que o número de palavras numa linha pode variar dependendo de onde se escreva (e leia). Resolvi redigir o material num arquivo .doc com tamanho 12 e margens 2,5. Eis:

>>>

Érica chegou ao porto, passou por alguns homens que a olharam obscenos, comprou um bilhete e embarcou. Encontrou seus amigos, membros de sua reserva indígena. Após os cumprimentos saudosos, a embarcação partiu. Os grosseirões do porto os abordaram com armas na mão, eram matadores, contratados para matar os líderes da comunidade. Agarraram Érica, a tocaram, eles não a matariam de imediato. - Não nos matem, por favor! - Ela disse. Sua voz ecoou na mente dos matadores e eles exitaram. - Eu faço o que vocês pedirem! - Cada palavra era acompanhada por um sussurro sibilante. A soltaram. Ficaram fascinados, entorpecidos. - Vocês me desejam e eu vou dou o que quiseram. - Ela pulou para o rio e eles a seguiram. Para a morte. A embarcação prosseguiu, algumas crianças avistaram um lindo boto, mas o grupo de índios presente sabia que a Iara os seguia.

>>>

O primeiro desafio aqui foi apresentar a história em si, algo simples e logo descobri que até um conto simples pode ser complicado escrever quando sua mente quer forçar algo mais complicado, com mais nuances e informações... O que me levou ao segundo desafio: terminada a história, eu teria que enxugá-la. No fim da primeira versão eu tinha 5 linhas excedentes e teria que cortar as palavras certas para que eu não perdesse a essência do que eu queria contar. Senti que há uma certa força que faz com que nos apeguemos as palavras no texto, que nos faz lutar contra os cortes necessários.

Por fim, senti que consegui "emagrecer" o conto nas partes certas, deixando o que tinha que ser deixado e não senti nenhuma perda devido aos cortes.

É isso. A demanda segue. Que as musas nos favoreçam!

MWXS

DIÁRIOS DE ÓCULOS - CONVIVEMOS COM AS DIFERENÇAS?

As vezes reflito sobre a possibilidade das raças de fantasia: elfos, anões, hobbits e tantos outros oriundos de miríades de criações da ficção e mitologia.

Penso em sua relação com os povos humanos e encontro um grande entrave: não conseguimos lidar nem com a diferença de cor da nossa pele, imagina com algo assim! Por Crom do alto de sua montanha! Não convivemos bem nem com opções sexuais diferentes!

Nestas horas me vem a mente as teorias que afirmam que os neandertais conviveram com os humanos na pré-história e foram extintos durante a disputa por territórios ou algo do tipo. Daí se tira: como raça, podemos ter sido responsáveis pela extinção de uma raça... O que não é exatamente algo novo (já extinguimos e ameaçamos inúmeros espécimes da fauna e flora), mas estamos falando de seres dotados de inteligência. Consciência.

Pelo que vejo, historicamente o convívio das diferenças sempre foi assim: submissão ou extermínio. Os diversos povos pré-colombianos das americas sabem bem disso.

Embora contemplemos um destino sombrio, eu tenho esperança que no fim resolvamos tomar um caminho de luz. Que venhamos a aprender o verdadeiro significados da paz e da sabedoria antes de irmos longe demais num caminho sem volta onde o único desfecho será a destruição do nosso mundo, ou o mundo dos nossos filhos ou dos filhos deles.

>>>

domingo, 18 de outubro de 2015

CURSANDO "ESCREVA SUA HISTÓRIA" (ATIVIDADE #5)

Ultimamente tenho dedicado um tanto de tempo para estudar sobre a atividade escrita e garimpando na internet encontrei o ótimo site do escritor Fábio M. Barreto onde ele ministra o interessante curso Escreva Sua História, onde ocasionalmente ele propõe alguns exercícios.

Em minha busca incessante por tempo para escrever, resolvi arregaçar as mangas e participar da atividade nº 5, com s seguinte proposta:

"Crie um, ou mais personagens, e reconstrua uma piada boa (e conhecida) por meio da sua narrativa. Pode ser qualquer uma. Afinal, o importante não é a piada, é como ela é contada".

De cara eu pensei, - "ow, droga!" - Nunca havia escrito algo com intenção humorística e não pensei que fosse conseguir algo de cara. Apenas respirei fundo, pensei em alguma piada que gosto e deixei os dedos deslizarem sobre o teclado. Abaixo segue o resultado desta desventura:

>>>

Júlio andou cabisbaixo pelo corredor do hospital, rumo a sala do médico que iria lhe mostrar os resultados dos exames que havia feito. Aproveitou a distância dos passos que lhe restavam até o veredito para preparar seu espírito.

“Dr. Muriel”, dizia a pequena placa diante do médico que acenou para que sentasse na cadeira à frente. Ele deu um daqueles sorrisos presos, daqueles que se dá quando não vão anunciar boas notícias.

- Então, doutor, o que é que há? - Júlio disse.

Muriel pigarreou - Senhor Júlio, pelo resto da sua vida você vai precisar tomar estas pílulas.

- E quanto tempo isso significa, doutor?

A garganta arranhou novamente fazendo Júlio pensar que, ou Muriel estava precisando de um copo de água ou ele estava desconcertado com a situação. - Não vamos pensar em questões de tempo… Vamos pensar em quantidade de pílulas. - Então colocou um pequeno frasco de comprimidos sobre a mesa.

- Leve dez. Dá e sobra.

>>>

Segue o relato do que aprendi em termos de construção textual e conceitual. Cabe a observação: o relato explica o desenvolvimento da história, não a piada. :-D

A história tem como fonte uma das várias piadas recorrentes feitas pelo personagem Groucho, da HQ italiana "Dylan Dog".

O resultado foi curioso. Gostei de ter visto como podemos revisitar uma história simples, de algumas poucas linhas e lhe dar nossa roupagem. Acho que a narrativa reforçou o tom indireto já presente no humor negro da piada... De alguma forma me lembrou o tom presente em "Homens de Preto" (no primeiro, não nas sequências), sutil, meu tipo de humor preferido que quase não quer ser engraçado. Pode não ter torta atingindo a cara de ninguém e os segundos necessários para entender a sacada podem até estragar a piada para alguns mas, pessoalmente, gostei.

Outra referência que usei, sem intenção, simplesmente foi cuspida no texto foi o trecho "doutor, o que é que há?" do "what's up, doc?", fala clássica do Pernalonga. Até imaginei o maldito coelho pondo as pernas sobre a mesa enquanto petisca uma cenoura, lançando uma expressão cínica ao interlocutor.

No final, o que sobrar da piada interna e do obscurantismo do humor despretensioso do Groucho, fica ao julgo dos olhos do leitor. Espero que seja uma experiência satisfatória.

Para saber mais sobre o assunto, basta seguir o coelho bran... Digo, clicar nos links inseridos no começo desta postagem.

See ya, space cowboys!

MWXS

domingo, 19 de julho de 2015

COISAS QUE FALAM SOBRE COISAS: SECRET SMILE (TRADUÇÃO)

SORRISO SECRETO
(Interprete: Semisonic)

Ninguém sabe disso, mas você tem um sorriso secreto
E você o usa só para mim.
Ninguém sabe disso, mas você tem um sorriso secreto
E você o usa só para mim.

Então use-o e prove-o,
Remova essa tristeza em turbilhão.
Estou enlouquecendo e entristecendo
Mas você pode me salvar da loucura.

Ninguém sabe disso, mas você tem um sorriso secreto
E você o usa só para mim.
Ninguém sabe disso, mas você tem um sorriso secreto
E você o usa só para mim.

Então me salve, estou esperando,
Estou precisando, escute-me implorando
E me acalme, me aprimore,
Estou de luto, eu mal estou acreditando agora. Agora...

Quando você está voando ao redor e ao redor do mundo
E estou deitado sozinho,
Eu sei que há algo sagrado e livre, reservado
E recebido apenas por mim.


>>>

domingo, 5 de julho de 2015

DIÁRIOS DE ÓCULOS - A CONSCIÊNCIA DIVINA DO HOMEM

Deus deu ao homem o livre arbítrio para que por sua conta encontrasse o caminho até ele... Através do mundo, entre o dia e a noite, verão e inverno.

Os homens não deveriam usar seu nome em vão, usando palavras escritas num livro, tinta em papel, a ferro e fogo, dando valor à palavra ao invés da obra, pervertendo bem ao mal.

Somente a consciência deve guiar as mãos do homem, não sua língua. Apenas sabedoria o põe no caminho da criação, não as palavras repetidas pela tradição de homens idos.

A obra de deus é uma só, não importa que credo sigamos. Ele nos fez à sua imagem, cada um de nós, para encontrá-lo basta procurarmos num simples espelho. Nossa ciência é sua expressão, assim como a chuva ou um dia de sol.

Todos os caminhos nos levam até ele e apenas este caminho, que é a vida que vivemos neste mundo de terra, água, ar e fogo, nos mostrará como enxergar nosso destino. Desde o nascimento até a morte, o caminho de um homem é marcado por deus através das escolhas que ele faz e as consequências que terá de lidar, yin e yang, a expressão karmica do universo sobre o indivíduo como o livre-arbítrio é a expressão do homem sobre o universo. Assim sendo, não caberá a qualquer homem julgar outro de sua espécie. Apenas deus, o destino, tem esse direito.

Eu tenho esperança de que um dia o amor seja recompensado com mais amor. Eu tenho esperança de que o ódio encontre luz e misericórdia antes de se encontrar com uma repreensão divina de igual poder como a qual despejam sobre os alvos de seus dedos acusadores e suas línguas cheias de veneno e tão pouco dotadas da compaixão e compreensão do verdadeiro deus do céu e da terra, da qual dizem seguir tão fielmente.

GABRIEL W. TUDOR

>>>

domingo, 14 de junho de 2015

DIÁRIOS DE ÓCULOS - AS DEUSAS DA GUERRA

Toda jogadora de rugby, em essência, é uma "deusa da guerra". Por sua natureza precisa ter mais fibra do que qualquer jogador masculino, porque a sua batalha vai além da disputa em campo!


Que Georgia Page sirva de exemplo de espírito de equipe e por tabela, um tapa na cara dos "machinhos" que acham que são bosta muita: "ter colhões" é um estado de espirito, não uma conveniência de gênero.


- MWXS

domingo, 24 de maio de 2015

COISAS QUE FALAM SOBRE COISAS - COSMOGONIA

Interprete: Memórias de Um Caramujo

Quem disse que a noite não pára pra se deitar?
Quem disse que a terra tem vontade de girar?
Quem foi que deu a ordem para o vento soprar?
Um dia ele se cansa e pára pra respirar...

Me diz quem foi que deu à planta o dom de crescer,
Me diz por que a pedra fica ali sem se mexer.
Disseram que um manda e o outro tem que obedecer
E lá dentro do espelho tem alguém como você...

O céu veio primeiro, o mar veio um pouco depois.
Quem foi que desenhou a linha que divide os dois?
Me diz quem fez a luz, me diz quem fez escurecer
E quem pintou vermelho no quadro do entardecer...

O sol olhou pra lua e ficou apaixonado,
Mas quando correu pra ela, ela fugiu pro outro lado.
Mas veja se não é triste, veja se não é engraçado,
Que a noite e o dia nascem desse amor desajustado.

Disseram que é mentira, mas não sei se isso é verdade,
Que um dia o mundo inteiro vai ser uma só cidade.
E sombra vai dizer que quer mais privacidade
E o eco ecoar que tem crise de identidade...

Se um dia a natureza não agir naturalmente,
Se o cima vir abaixo e o pra trás virar pra frente.
Se sapo virar sapato e padre virar serpente,
A gente vira mato e fruta vai virar semente...

E o tempo anda sempre junto daquela senhora,
Que sopra no seu ouvido te pega e te leva embora.
Quem dera se eu pudesse eu parava o tempo agora,
Pois só pra perguntar quando é que bate a minha hora...

Quem disse que a noite não pára pra se deitar?
Quem disse que a terra tem vontade de girar?
Quem foi que deu a ordem para o vento soprar?
Um dia ele se cansa e pára pra respirar...


>>>

DIÁRIOS DE ÓCULOS - PAREM AS PEDRAS!

- Que jogue pedra aquele que nunca pecou - Ele disse. Não adiantou, jogaram assim mesmo.

>>>

DIÁRIOS DE ÓCULOS - O QUE ELE DISSE, AFINAL?

Deus disse pra todo mundo ser legal uns com os outros e aproveitar a festa. Jesus disse para todo mundo ser legal uns com os outros e aproveitar a festa. Mas a galera só quer saber de cortar a onda dos outros, tudo empata foda.

Parece engraçado, mas não é. É uma história muito séria. E trágica. 

>>>

terça-feira, 28 de abril de 2015

DIÁRIOS DE ÓCULOS - Antônio Abujamra, RIP

Passo boa parte dos meus dias buscando palavras para expressar meus sentimentos. Infelizmente nem sempre tenho a habilidade necessária para fazê-lo. Produzir palavras através de emoções nem sempre é uma tarefa simples, mas muitas vezes encontro escritores, que através de poesia ou prosa, já o realizaram antes de mim. Conseguiram traduzir um sorriso, um coração aquecido, um espírito inconformado... Apresentados em textos nem sempre ordenados.


O inverso também é um exercício sublime: produzir emoções através das palavras. Daí entendemos toda sua capacidade para expiar nossa rendição aos sentimentos. Entendemos que as palavras não tem dono, que sua origem é irrelevante e o que importa é o poder pro trás de si! A paixão que encoberta. As verdades que expressam vão além da forma que utilizam. São mágicas.

Por isso muitos já disseram "eu te amo" e poucos se fizeram acreditar.


Uma vez me criticaram o hábito de usar palavras alheias para expressar meus sentimentos... Espero que este texto sirva como argumento para as verdades de cada momento que as usei.

Para meu nobre exercício como "caçador de palavras".

Para homenagear este bom interprete das palavras.

Antônio Abujamra, RIP.

domingo, 26 de abril de 2015

Sombras do Nada: exercício para capa

Salve! Continuando com meus exercícios de escrita (e um rompante para rabiscar pretensões em desenho) para alimentar minhas páginas nas redes sociais voltadas para leitores e escritores, Wattpad e Widbook, fiz o design de capa ao nível amador, claro, para a coletânea onde reunirei contos de terror e suspense. Para isto, escolhi seguir o mesmo estilo visual que adotei para idealizar a capa para O Blues de Nova Babel.

Opiniões, críticas e sugestões serão muito bem vindas!

Imagem: Mike Wevanne

segunda-feira, 2 de março de 2015

Cartas para Ela - Pá de Cal

Para Ela,

Nunca tardo a perceber… Minto, tenho a triste sina de tardar para perceber que a velocidade do tempo é maior do que minha sensibilidade de percepção sobre ele. Há anos confabulo e teorizo em busca para encontrar as causas deste terrível fenômeno pessoal, mas infelizmente seus efeitos são bem mais evidentes sobre minha vida.

Na noite anterior, enquanto prescrutava fantasmas, me deparei com um derradeiro golpe, a última pá de cal jogada.

O ponto interessante desta história é que ele havia sido dado há tempos e embora eu já carregasse esse peso comigo, de fato só agora tive ciência do fato posto. Um fantasma do passado que me acompanhava na forma de sombra e que agora se revelara numa visão de tormento.

Mas meu temperamento já não é mais o mesmo e é necessária uma casca, mesmo que frágil, para se defender de forma minimamente satisfatória e sobreviver a algumas das tristes verdades da vida.

O tempo passa. As pessoas viram passado. Páginas viradas.

Cinzas e pó.

Não obstante eu carrego comigo um desenganado desígnio do amor. Dei-me o encargo pessoal de não fazer com quem quero bem o que julgo um destino triste demais para qualquer um, uma dor que compartilho com todas as demais almas deste mundo dos deuses. A finitude da vida.

A finitude dos sentimentos.

Carrego comigo todos os sorrisos e lágrimas, alegrias e tristezas de todos os amores que tive. Nunca os esquecerei, nunca lhes transformarei em relíquias esquecidas pela conveniência do tempo, terão sempre a verdade da paixão um dia jurada.

É uma tarefa para poucos. Mas tenho o péssimo hábito de não me dobrar por dificuldades e se acho que é o certo a ser feito, é o que será feito. A vida é curta demais para perdermos tempo e energia negando aquilo que deus nos forjou para realizarmos, em dor e glória.

A lição que devo aprender aqui é que nunca devo fugir dos sentimentos. É preciso coragem e encará-los frente a frente. Enfrentar o bom combate, ficar com algumas cicatrizes e seguir com a vida. Do contrário estaremos correndo o risco de conviver com uma sombra em nossos calcanhares, nos seguindo oculta, um fantasma que nos atormentará quando resolvermos, mesmo que timidamente, olhar para trás.

Hoje, enterrado há meses e depois da pá de cal não percebida, com terra e história sobre meus ombros, encaro o fantasma e me vejo, como se estivesse olhando para um espelho. Descobri que sou meu próprio fantasma.

Nesta vida o tempo passa. As pessoas viram passado. Páginas viradas.

Cinzas e pó.

Só o tempo é verdadeiro.

“Só é seu aquilo que você dá
E o beijo que você deu, é seu beijo”.
-Lampirônicos (Pop Zen)

De G.W.T.
Em Fortaleza-CE.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O Blues de Nova Babel: exercícios para capa

Em meu rompante de inspiração devido à criação de conta no Wattpad e Widbook, estou tentando rabiscar algumas coisas, desenterrando um pouco minha parca habilidade em desenho e criando capas para os trabalhos sendo upados, chegando a três modelos satisfatórios.

Modelo 1
Modelo 2
Modelo 3
Pessoalmente, meu favorito foi o modelo 2, que pode até servir como matriz para outros livros que eu for idealizar futuramente.

MWXS

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Para baixar: "O Voo de Um Piscar de Olhos & Outros Escritos"

Este livreto é minha primeira obra literária completa, ainda que breve, compreende alguns textos que escrevi há mais de uma década e que tendo os revisitado e reunidos num só documento, os disponibilizo em formato pdf para leitura.

Hoje, olho para as linhas contidas neste material com certa reverência, por serem os frutos verdes de minhas primeiras expressões artísticas através da escrita e que, com um tantinho de orgulho e nostalgia, os compartilho aos olhos de quem se interesse em passear através de seus parágrafos.

GWT

Baixe o livreto gratuitamente neste link.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Meu perfil no Widbook

Seguindo minha busca recente sobre redes sociais voltadas para leitores e escritores, na qual criei uma conta no Wattpad, resolvi também criar uma conta no Widbook, buscando uma maior visibilidade ou simplesmente avaliar o desempenho do material entre as duas redes.

Segue meu perfil neste link.

Bons ventos.


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Meu perfil no Wattpad

Salve!

Recentemente dei uma investigada em redes sociais voltadas para leitores e escritores, esbarrei com o Wattpad e achei uma ótima plataforma para entrar em contato com novas leituras... E na via dupla, divulgar o trabalho escrito. A possibilidade de apresentar histórias (sejam contos ou poemas) passo a passo, através de capítulos me deu uma visão bem positiva para facilitar o desenvolvimento de uma obra (e novamente em via dupla, facilitar também a leitura e o acompanhamento de uma obra em construção) e afastar o terrível peso da inércia, quando falta inspiração ou regularidade para a escrita.

Enfim, acabei por criar meu perfil (para visualizá-lo, basta clicar aqui) na rede social e pouco a pouco uparei o que já tenho escrito e em breve, com a graça das musas, compartilharei novas escrivinhações. Mais uma vantagem da plataforma é que dá para apresentar o material já dentro da obra (livro) em desenvolvimento (o que eu faço aqui no blog com marcadores).

Bons ventos.


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Cartas para Ela - Poema Dois

POEMA DOIS

GABRIEL TUDOR

Misturo pensamentos,
Misturo anseios,
Adiciono uma porção de delírio.


Em algum momento perco a noção das coisas que são.


A verdade é que só posso conhecer plenamente o que tenho dentro de mim
E mesmo assim, conheço muito pouco.
Não obstante, quase nada.


O que não reduz a segurança das certezas que possuo.


Um abismo que nos separe
É ainda mais capaz de me afastar de mim mesmo
E eis que estou distante das duas pessoas a quem devo amor.


Perdido, louco para achar ambos.


Procurando uma fórmula,
Um conjunto de palavras escritas ou faladas.
Procurando uma ação, quem sabe, uma oração.


Fé me acompanha até um fim que é misterioso e inevitável.


Quando chegar, quem sabe viveremos o sorriso.
Meu sorriso, teu sorriso: ambos.
Ora, mesmo o teu sorriso garantirá o meu.


E o sorriso do fruto.

>>>